Amar'En'Edhel Continent

Amar’En’Edhel, Terra dos Elfos, é a sua tradução directa do elfico. Pois este continente é o berço que acolheu os primeiros elfos do mundo material.

Milhares de anos antes do Morggin Calendar, muito antes de os primeiros humanos chegaram ao ponto de criar civilizações, Corellon criou os elfos e deu-lhes este continente para viverem e evoluírem. Corellon que na altura e por muito tempo depois era o único deus que detinha poder sobre magia arcana, ensinou os elfos a usar a magia e eventualmente o seu uso passou a ser quase natural para o povo elfico. Durante muitos milénios eles evoluíram. Começando no sul do continente até ocupar quase metade do continente. Usando e abusando da magia toda a região actual de Dor’En’Dae foi povoada, com enormes cidades flutuantes.

Mas eventualmente com poder vem corrupção, e não tardou muito até que vários elfos começassem a debater sobre quem deveria reinar. Dai vieram as Guerras Civis Elficas. Milhares morreram, mas o ponto de viragem foi quando finalmente um dos clãs decidiu reunir todas as reservas de magia num único feitiço, quando este fora executado, o canal que continha a magia rompeu. O feitiço acabou numa enorme onda de energia arcana, que destruí quase tudo e todos no seu caminho. As cidades flutuantes caíram, e a própria forma da magia no mundo foi alterada. Dos elfos que sobreviveram, alguns alterados pela enorme quantidade de energia absorvida, tornaram-se nos primeiros Eladrins.

No entanto Vecna viu no caos uma oportunidade única, convencendo alguns elfos a usar rituais antigos e proibidos por Corellon, para levantar os seu mortos, criando uma forte ligação da terra a Shadowfell e estes voltaram para combater. Infelizmente muitos foram aqueles que recorreram a esses rituais, criando assim a maior população de mortos-vivos que o mundo conhecera. As tropas dos mortos-vivos ameaçavam ocupar o resto do continente e depois disso quem sabe, talvez o mundo.

Foi nesse momento que Corellon e Moradin intervieram, respondendo a transgressão de Vecna. Moradin ergueu a cordilheira hoje conhecida como Shadow Barrier, bloqueando o acesso aos mortos-vivos ao resto do continente. Corellon transportou os elfos e eladrins para la das Shadow Barrier, Ele ofereceu a todos aqueles que quisessem uma passagem para a Feywild. A maior parte dos elfos escolheram ficar no mundo material e com a bênção de Corellon passaram a dedicar-se mais a Natureza, respeitando-a e protegendo-a em vez de se dedicar a magia. Alguns eladrin escolheram ficar, mas a maior parte aceitou a proposta de Corellon e foram viver num mundo talvez mais adequado para eles.

Dor’En’Dae, como o nome elfico indica ficou a ser a Terra das Sombras. Um local perigoso, mas procurado por muitos aventureiros, pois não é difícil encontrar ruínas com as riquezas e objectos mágicos da antiga civilização elfica. O elfos e eladrins que ficaram no Vale dos Deuses, espalharam-se nas varias florestas que cobriam o oeste do vale. Alguns humanos já viviam na zona mais a este do vale, e entre elfos, eladrins e humanos, começaram a crescer como uma civilização que hoje é conhecida como Reino de Raggs. A norte do vale, no topo do continente, Moradin ergue outra montanha, Moradin’s Hut. Ele ordenou que fosse construído um grande mosteiro onde Paladinos de Moradin fossem treinados e preparados para viver em fortes na Shadow Barrier, na eventualidade da horda de mortos-vivos tentar ultrapassar a barreira.

Até agora os mortos-vivos nunca transpuseram a cordilheira. Muitos contam historias de uma enorme necrópole no centro de Dor’En’Dae onde poderosos Liches planeiam um dia tomar o mundo de assalto.

Amar'En'Edhel Continent

The Eternal Binding razdekainOP